image.jpg

Tudo em minha vida é sentir.

Por isso, preste atenção. Se os nossos caminhos se cruzarem, entenda que não será fácil. Mesmo que seja breve. Nas poesias, existe uma leveza que encanta o coração. Uma beleza que faz nascerem em você os mais lindos desejos. Mas no cotidiano, existe uma profundidade que pesará na alma.

Não por ser um escritor. Mas por ser um eterno sentir. Um poeta de alma. E a estes, pesa o constante desfortúnio da inspiração. Estamos acorrentados aos nossos desejos, guiados e guiando-os ao mesmo tempo. Esta será sempre a minha maldição. Se aceitá-la, abrace como sua.

Garanto que valerá. Pela fibra. Pelos filhos. Pela forma que me encostarei em você. Como muitos nunca o fizeram.  Mesmo quando em silêncio, nunca serei como aqueles rapazes que pouco têm a dizer. Ou a fazer. Os meus olhos sempre te dirão algo. Grandes são também as chances de que iremos discutir. Mas no final, sempre iremos nos amar. Não se faz poesia sem um quê de tormenta. Ossos do ofício de se sentir poeta.

As conversas mais simples se tornarão temas profundos. Mas os beijos nas festas sempre serão apaixonados. Um caminhar de outra mulher se transformará em inspirações para uma crônica. Mas sempre irei te desejar logo pelo café da manhã.

Por estes motivos, eu digo. Não é pelo escrever. É pelo sentir. Não será fácil. Mas garanto. Vale mais um breve caminhar de gozo e tormenta do que uma vida inteira de beijos vazios.