Porque, por mim, ela voltou. Quando ninguém mais voltaria.

Talvez um dia alguém me pergunte: por que ela? Bem, eu digo. Apesar de sinceramente achar que não deveriam perguntar certos óbvios. 

Ela voltou. Quando ninguém mais voltaria.

Antes de mais nada, é preciso entender algo. Ela é tudo. Sim, tudo. Ela é linda, como muitas tentam ser e não conseguem. Ela é divertidamente inteligente. Inteligentemente divertida. Ela escolhe hambúrgueres enquanto a maioria comeria um wrap. Sem nunca perder a elegância. 

Eu? Bem, eu além de escolher o wrap, sou exatamente o seu oposto em tudo que poderíamos imaginar. As profissões. A elegância. A maturidade. A beleza. Tudo o que sobra nela insiste em ser, muitas vezes, escasso em mim. Além disso, nós mal nos conhecíamos. Mesmo assim, ela voltou.

Ela voltou por um simples "Eu gostei de você". Ela voltou quando ninguém mais voltaria, por conseguir ler as almas antes mesmo que estas se abrissem. O que ocorreu depois, eu sinceramente não poderia contar. Porque a maior parte, na verdade, eu apenas torço para que não tenha acontecido. 

E sejam tantas as vezes que ela ainda volte por mim.