⁠⁠⁠"Dei um último gole direto da garrafa e sentei na cadeira de couro.

Ela passou as pernas pelo meu quadril, lambeu a gota de vinho nos meus lábios e se encaixou com os seios encostados no meu rosto. A pele era branca, as pernas macias, os lábios almofadados e úmidos, como se existissem para um único propósito. Ela colocou um dos meus dedos no fundo da sua boca e o chupou lentamente, como se adivinhasse os meus pensamentos. Então, sem hesitar, abriu o zíper da minha calça e o segurou entre seus dedos.

Ela o apertava com força e sentia cada uma das minhas reações. Sentia como ele crescia e latejava. Por fim, ela levantou a saia e o enfiou por inteiro. Cada centímetro do meu corpo sentia o seu sexo molhado e quente, enquanto ela se contorcia em uma espécie de transe. Escorreu lentamente em mim. 

Depois, se ajoelhou, encostando os cabelos suados na minha coxa. Me encarou com os olhos sedentos, sem dizer nada além de duas únicas palavras. Duas únicas palavras capazes de me fazer explodir.

- Milk, please."